A vida é muito curta para você estar no trabalho errado

Eu sou Edwin Karrer, psicólogo (CRP 05/43842) com atendimento em Copacabana, na cidade do Rio de Janeiro, em local de fácil acesso.

Meu atendimento psicológico concentra-se especialmente em duas frentes de atuação: Psicoterapia e Orientação Profissional, cada qual com diferentes modalidades oferecidas.

Veja nas perguntas freqüentes se a sua dúvida já está respondida aqui.


"Há dois grandes dias na vida de uma pessoa: O dia em que ela nasce e o dia em que ela descobre para que nasceu." (Janet Attwood)

Para um indivíduo ativo e produtivo, o trabalho ocupa a maior parte de seu tempo útil. Tomemos como exemplo uma pessoa que trabalhe 8h por dia. Considerando que esta pessoa durma 8h por dia e descontando cerca de 2h diárias voltadas para a alimentação, veja como o trabalho (em vermelho no gráfico) ocupa uma parte muito significativa de cada dia da vida deste sujeito:

Se formos acrescentar nesta conta o tempo médio de deslocamento nos centros urbanos entre casa e trabalho, ida e volta, boa parte daquelas 6h aparentemente livres desaparecem. Isto traz a sensação de que a vida resume-se a trabalhar.

Quando o trabalho atende apenas as necessidades materiais, mas não é fonte de satisfação e realização pessoal do sujeito, a sensação de frustração, anulação e perda de vida vai ganhando espaço e pode gerar angústia, estresse, fobias, transtornos alimentares, dificuldades de relacionamento, problemas sexuais, etc.

Assim, faço um convite à reflexão sobre como a escolha da atividade profissional é uma das tarefas mais críticas de nossas vidas. Algo de tamanha importância jamais deveria ser feito pelos motivos errados ou na base do "deixa a vida me levar". E um suporte profissional qualificado para esta tomada de decisão, em qualquer momento da vida, pode fazer toda a diferença entre uma vida de frustração e uma vida de realização.

"Escolhe um trabalho de que gostes, e não terás que trabalhar nem um dia na tua vida." (Confúcio)

Para esta demanda tão crítica, atuo com uma estratégia que integra as abordagens clínica e psicométrica, oferecendo as seguintes modalidades de atendimento:


Orientação vocacional e projeto de vida

Cada vez mais cedo o adolescente se vê obrigado a escolher uma profissão. Embora o processo de fazer escolhas seja algo natural no nosso cotidiano, a escolha profissional representa uma pressão muito grande para o adolescente nesta fase já cheia de dúvidas e conflitos. Através de diversas atividades desenvolvidas normalmente ao longo de oito sessões, é dado ao adolescente o suporte para que faça uma escolha mais segura, coerente com suas reais aspirações, seus valores e seu projeto de vida.

Reorientação profissional

Uma potencial fonte de angústia é a crença segundo a qual uma escolha profissional deve ser mantida para o resto da vida. Sempre é tempo de mudanças positivas. Desde o universitário que descobre estar na formação errada até o profissional experiente que, insatisfeito com seu trabalho, decide iniciar outra carreira, a reorientação profissional possibilita estabelecer contato com suas reais prioridades e redirecionar sua vida.

Aconselhamento de carreira

O aconselhamento de carreira visa trabalhar o valor das competências e atitudes necessárias para o crescimento e excelência profissional. Seja na busca de uma promoção ou de novas oportunidades, o aconselhamento pode dar rumo, ajudar a evidenciar seus pontos fortes e minimizar os pontos fracos, aumentando sua empregabilidade, valor profissional e habilidades de empreendedorismo.

Preparação para aposentadoria

O momento de encerrar uma carreira e buscar um novo projeto de vida, que pode ser desde uma nova carreira até usar o tempo livre para "curtir a vida", pode ser batante difícil para muitas pessoas. Uma boa preparação para a aposentadoria, com o devido suporte psicológico e um planejamento que inclua aspectos sociais, familiares, financeiros e de saúde, pode assegurar a tão desejada qualidade de vida nesta etapa.





Perguntas freqüentes




1- Um psicólogo pode me dizer que profissão devo seguir?

R: Um psicólogo que realize orientação profissional pode conduzir um processo onde você conheça melhor a si mesmo e as carreiras com as quais tenha mais afinidade, possibilitando que você faça esta escolha com mais consciência e segurança. Uma boa orientação profissional não é um processo onde alguém determina seu caminho por você, mas sim um processo que lhe dá a capacidade e autonomia de fazer as melhores escolhas.

2- Por que o processo de orientação profisional dura várias sessões? Não dá pra fazer algo mais rápido e simples?

R: O processo de orientação profissional é desenvolvido ao longo de diversas etapas, cada qual com atividades específicas, necessárias para que se possa atingir uma condição de segurança em relação à escolha ocupacional. Meu trabalho leva cerca de oito sessões, uma ou duas vezes por semana, onde são realizadas entrevistas, testes psicológicos e outras técnicas exploratórias. Desconfie de processos muito rápidos e de resultados imediatos. O tempo investido neste trabalho é muito compensador, pois o benefício que isto pode proporcionar pelo resto da sua vida é inestimável.

3- Qual a diferença entre os testes vocacionais online e a orientação profissional feita por um psicólogo?

R: Um psicólogo com experiência em orientação profissional possui uma percepção apurada para, durante o processo de orientação, conduzir o orientando em suas reflexões rumo ao autoconhecimento necessário para escolhas seguras. São aplicadas diversas técnicas específicas e realizados testes psicológicos (autorizados pelo Conselho Federal de Psicologia), que somente psicólogos podem aplicar. Os chamados "testes vocacionais" normalmente disponibilizados online não têm condições de abranger a complexidade de uma orientação com estratégia clínica e nem possuem o rigor científico dos testes psicológicos aprovados pelo CFP. Em último ponto, ao se pensar em termos de custo-benefício, deve-se considerar que o investimento feito em uma orientação com um profissional capacitado é muito reduzido, se comparado aos custos de se iniciar uma faculdade que será abandonada após algum tempo.

4- Orientação vocacional e orientação profissional significam a mesma coisa?

R: Estas denominações apresentam uma origem histórica e filosófica. Até algumas décadas atrás, a expressão " orientação vocacional" referia-se a ideia de que cada um de nós nasce com uma vocação, uma espécie de chamado ao qual devemos atender. Como não se pode provar que nascemos com uma vocação específica e fixa, hoje é mais utilizada a expressão "orientação profissional", referindo-se de modo abrangente à identificação dos caminhos profissionais mais adequados ao perfil de cada indivíduo. Algumas pessoas usam ambas expressões como sinônimos, mas há também quem as utilize de modo a diferenciar a proposta de trabalho, usando "orientação vocacional" para quem vai prestar vestibular e "orientação profissional" para quem já iniciou uma formação (ou mesmo uma carreira), mas deseja mudar.

5- Como é iniciada uma orientação profissional?

R: Na sessão inicial de orientação profissional, que pode ser agendada através do formulário, são alinhados os detalhes do processo, incluindo definição de um cronograma de atividades. Nesta primeira sessão já são realizadas também algumas das atividades previstas.

6- O que fazer se eu quiser seguir uma carreira que não esteja entre as indicadas na minha orientação profissional?

R: É importante ressaltar que o laudo de orientação profissional não se propõe a apresentar uma verdade única e absoluta sobre o projeto de vida do orientando. Em outras palavras, o laudo de OP não lhe "condena" a seguir uma determinada carreira. Deve ser visto como uma importante ferramenta de apoio no seu processo de escolha, no qual você é absolutamente livre para decidir que caminho seguir. Mas vale a pena considerar fortemente as indicações do laudo entre as suas opções, pois o processo de orientação profissional revela os caminhos profissionais potencialmente mais adequados aos seus interesses, aptidões e traços de personalidade.


Caso você tenha alguma dúvida sobre o atendimento que não tenha sido esclarecida nesta seção, envie sua questão através da página contatos. Não haverá nenhum tipo de identificação caso sua pergunta seja acrescentada nesta relação de perguntas freqüentes.

   

Gostou desta página?

Então acesse abaixo e
compatilhe com seus amigos
onde você desejar
 

 

Artigos Vídeos Psicoterapia Orientação Profissional Workshops Contatos